sábado, 19 de janeiro de 2013

Articulação temporomandibular e cintura escapular


A articulalção temporomandibular (ATM) é a articulação da madíbula com o crânio e deve trabalhar de forma simétrica. Relacionada com as articulações da coluna cervical e cintura escapular, a ATM trasforma-se em um perceptível pêndulo, conseqüentemente sua distonia provocará distúrbios posturas diretos na coluna cervical e na cintura escapular, promovendo assim, alterações posturais que podem acometer a coluna lombar e os membros inferiores.
A ATM é uma articulação sinovial, ou seja, apresenta um espaço entre os ossos, preeenchido por um líquido lubrificante especial, o líquido sinovial, também chamado de sinóvia. Nesta articulação existe também um disco, conhecido como disco articular, e sua principal função é amortecer o excesso de carga.
As articulações temporomandibulares com freqüência apresentam alterações em seu funcionamento biomecânico, gerando a condição conhecida como disfunção temporomandibular. A ATM, que articula o crânio e a mandíbula pode ser tanto da parte muscular, ligamentar e nervosa mastigatória, quanto cervical. Estas articulações funcionam em conjunto.
Os sinais e sintomas desta disfunção são:
* Dores de cabeça ou pescoço;
* Ruídos articulares (estalos);
* Zumbidos no ouvido ;
* Limitação de abertura bucal (oclusão);
* Desgaste nos dentes (bruxismo);
* Dificuldades na mastigação.

Normalmente as dores nos ombros e na cervical decorrente da ATM estão associadas à musculatura postural da cabeça que é acessória da mastigação, como por exemplo o trapézio (que sai do crânio para os ombros e coluna), o esternocleidomastoieo (do crânio para a clavícula e o esterno) e os músculos supra e infra-hioideos que participam da abertura da boca e estão direta ou indiretamente ligados à chamada cintura escapular, que é a “cintura” dos ombros.

Há um músculo em especial, que quando afetado, reflete diretamente no omoplata/escápula (aquele osso da “asa” da parte posterior do ombro) que é o músculo omohioideo que vai do omoplata até o osso hióide que está conectado com a mandíbula.

Entretanto determinar quando um problema na ATM é o responsável por dor na cervical e nos ombros não é algo muito simples de se fazer…

Uma radiografia e/ou uma ressonância cervical podem ser necessárias para checar se não há um problema na própria cervical antes de se pensar em atribuir a culpa à ATM. Nestas situações, um fisioterapeuta e um médico com experiências em cervicopatias (doenças da região cervical) podem ser grandes aliados na detecção do problema. A dificuldade maior é quando se encontra algo também nas ATM´s… E aí, a dúvida que aparece é definir se são dois problemas em paralelo ou se um tem relação com o outro. Nesse ponto, estudos combinados de eletromiografia e posturologia podem lançar algumas luzes sobre o caso em questão.

Em particular, o que tenho percebido é que na maior parte das vezes o paciente já possui um problema na cervical que se agrava com uma alteração da musculatura acessória da ATM (músculos do pescoço e ombros). Nesses casos, ao tratar a ATM, ocorre uma melhora da queixa ligada à cintura escapular mas que fica limitada ao tanto que a lesão cervical permitir que melhore.

Os casos envolvendo postura, dor cervical, nos ombros e ATM costumam ser bem complexos e exigem bastante de todos os profissionais envolvidos, entretanto há uma coisa que facilita o tratamento: um diagnóstico precoce!

Fique esperto!
Postar um comentário